Batalhão Fraternidade

Uma História que meu marido José Paulino não gosta de relembrar,
porque vivenciou cenas pertinentes a momentos de guerra que lhe marcaram para sempre.

José Paulino Nunes - 1965


Militar do Corpo de Fuzileiros Navais em Missão de Paz - 1965 -
 em São Domingos na República Dominicana


MISSÃO DE PAZ - REPÚBLICA DOMINICANA por lusavilar




"Nas operações levadas a efeito pela Organização dos Estados Americanos (OEA) na República Dominicana, o Corpo de Fuzileiros Navais enviou um Grupamento Operativo (GptOp) integrando o Destacamento Brasileiro da Força Interamericana de Paz (FAIBRAS), um dos componentes da Força Interamericana de Paz (FIP). De março de 1965 a setembro de 1966, esse GptOp foi revezado três vezes, cumprindo as tarefas recebidas com exemplar disciplina e eficiência técnico-profissional."


A CRISE POLÍTICA DOMINICANA E A AÇÃO DA ORGANIZAÇÃO
DOS ESTADOS AMERICANOS


"O assassinato de Rafael Trujilo, Presidente da República Dominicana, em 1961, assinalou o início da deterioração política, acarretando a instalação de quase completo caos social no país ocorrendo lutas entre facções militares que logo incluíram os civis, armados indiscriminadamente.

No início de 1965 sucediam-se no poder civis eleitos e logo depostos e juntas militares. Ocorriam pilhagens, saques e assassinatos, ao lado de ações de tropas organizadas contra opositores civis e militares. Segundo informação da Cruz Vermelha Internacional, estima-se, sem confirmação, que nesse período morreram cerca de 2,5 mil pessoas como conseqüência destas ações, a maioria na área da cidade de São Domingos.

Estrangeiros residentes, diplomatas e suas famílias já não tinham qualquer segurança. Em decorrência, o Cel. Benoit, chefe de uma das juntas militares, solicitou ajuda aos EUA, e seu Presidente, Lindon Johnson, decidiu "desembarcar tropas na República Dominicana a fim de proteger a vida de cidadãos norte-americanos e de outras nacionalidades que pedissem proteção".

Na tarde de 28 de abril de 1965, 400 fuzileiros navais norte-americanos desembarcaram, por helicóptero, nas proximidades de sua embaixada.
Paralelamente à atuação de tropas norte-americanas, por resolução de 6 de maio de 1965 a OEA aprovou a intervenção coletiva de uma força interamericana no conflito dominicano, a fim de restabelecer a paz, a ordem e restaurar a democracia, chamando a si a condução política da crise.

A FORÇA INTERAMERICANA DE PAZ – FIP


A resolução aprovada pela OEA em 6 de maio continha, em seus considerandos iniciais, quanto ao emprego da FIP:

"Que a integração de uma força interamericana significará, ipso facto, a transformação das forças presentes em território dominicano em uma outra força que não seria de um Estado nem de um grupo de Estados, senão de um organismo interestatal como a OEA, encarregado precisamente de interpretar a vontade democrática de seus membros".

No corpo desta resolução encontra-se a MISSÃO da FIP:

"Esta força terá como único fim, dentro de um espírito de imparcialidade democrática, colaborar na restauração da normalidade na República Dominicana, na garantia da segurança de seus habitantes, na inviolabilidade dos direitos humanos, no estabelecimento de um clima de paz e conciliação que permita o funcionamento das instituições democráticas na dita República".

Para atender a resolução da OEA, as Forças Armadas brasileiras organizaram o Destacamento Brasileiro da Força Armada Interamericana (FAIBRÁS), com um Batalhão do Exército e um Grupamento de Fuzileiros Navais, nucleado em uma Companhia de Fuzileiros, com efetivo total aproximado de 1.150 homens.

O Destacamento Precursor do Contingente Brasileiro desembarcou a 23 de maio e, até 28, todo o FAIBRÁS encontrava-se em São Domingos.

A 23 de maio, fora firmado um acordo pelo qual era criada a FIP e estabelecido um comando unificado. Por solicitação da OEA, o Brasil e os EUA forneceram um Oficial General cada para compor este Comando, o qual contaria com oficiais dos países representados por contingentes de tropas.
A 29 de maio, chegou a São Domingos, o General-de- Exército brasileiro Hugo Panasco Alvim, assumindo o Comando Unificado da FIP.

A necessidade de agrupar operacionalmente as tropas e, ao mesmo tempo, respeitar suas características próprias, inclusive sob os aspectos de apoio logístico, conduziu a uma organização da FIP em escalões operacionais:

A Brigada Latino-Americana enquadrou os contingentes da América Latina. Era comandada pelo coronel brasileiro Meira Mattos, por designação da FIP. Subordinados operacionalmente à Brigada estavam o Batalhão do Exército Brasileiro e o BATALHÃO FRATERNIDADE, este contando com os Fuzileiros Navais brasileiros e com os elementos dos outros países latino-americanos. Este Batalhão foi organizado visando obter capacidade de coordenação das ações."


O PORQUÊ DA INTERVENÇÃO DOS ESTADOS UNIDOS NA ILHA

"A Revolução de Abril, contitui um dos eventos mais importantes na história recente da República Dominicana. O conflito começou quando um grupo de jovens oficiais do Exército e da polícia visava restaurar o governo constitucional do presidente Juan Bosch que foi derrubado em setembro de 1963, o primeiro governo democraticamente eleito nas urnas depois do assassinato do ditador Rafael Leonidas Trujillo.

Sob o pretexto de evitar outro regime comunista no oeste os Estados Unidos interveio na ilha. Deposto o Triunvirato a dívida que se tinha acumulado foi de $ 150MM.

O PartidoTrujillista Dominicano estava começando a ganhar adeptos, para combater essa tentativa nefasta para voltar ao poder deste sector, Os líderes dominicanos Dr. Joaquin Balaguer e Juan Bosch se aliaram e firmaram o Pacto de Rio Piedras, nesta cidade de Puerto Rico, O motivo: derrocar o Triunvirato.

A união de Balaguer e Bosch contou com o apoio da extrema-direita empresários e latifundiários, pois criou o Partido Liberal Evolucionista (PLE), o herói nacional Amiama Tio Louis estava à frente dele.

Donald Reid Cabral anunciou que as eleições seriam realizadas em setembro desse mesmo ano (1965), sem a participação dos conspiradores Balaguer e Bosch, este com a intenção de apasiguar o povo.

No sábado, 24 de abril de 1965 acampamentos militares se rebelaram 16 de agosto e fevereiro 27 de fevereir dando o golpe de estado ao triunvirato e ao governo de Donald Reid Cabral. A revolta foi apoiada pelo PRD e as pessoas pedindo o retorno de Juan Bosch e da constituição de 1963, forçando imediatamente para dar posse Reid Cabral e Dr. Rafael Molina Ureña como presidente provisório, foi anunciado o retorno de a constituição de 1963 e o retorno possível de Bosch ...

O General Elias Wessin y Wessin imediatamente se opôs a essas medidas e instruiu suas tropas para bombardear o Palácio e metralhar os chamados "constitucionalistas" foram tomados de assalto os quartéis que se opunham à constituição de 1963 o que dividiu a capital Dominicana em duas partes: a dos constitucionalistas e os CEFA que eram os da General Elias Wesin.

Bosch estava impossibilitado de entrar no país delegou seus direitos constitucionais ao Coronel Francisco Alberto Caamaño Deno, que foi empossado como presidente provisório do lado constitucionalista.

Enquanto a Embaixada do Estados Unidos financiou um conselho militar na Base Aérea San Isidro, que foi presidida pelo coronel Pedro Bartolomé Benoit.

Presidente dos Estados Unidos, Lindon B. Johnson disse que não poderia em nenhuma circunstância deixar os comunistas assumiram o poder de uma outra ilha no Caribe e acusou os constitucionalistas de "Comunistas" e imediatamente ordenou o desembarque de 42.000 com o objectivo de controlar a situação e fazer a entrega constitucional.

Entre 15 e 16 de junho as tropas americanas fizeram um ataque contra os rebeldes na qual o jornalista Pedro Pérez Vargas qualifica "os Marines chamaram os constitucionais de rebeldes e os constitucionalistas os chamaram de invasores,"

Em 30 de abril os norte-americanos criaram um governo de reconstrução presidido pelo General Antonio Imbert Barreras.

A comunidade internacional começou a condenar a intervenção pelos norte-americanos, entre os países mais criticados sobre este fato é a Venezuela, porque cerca de 1700 civis dominicanos morreram.

A fundação da república tinha sido tão cruelmente explorada "mas o presidente Caamano cheio de tristeza qualificou o ato de genocídio sem precedentes na história do país em que contava 65 mortos, entre homens, mulheres e crianças mortos, mais de 265 feridos, incapaz de contar as pessoas presas na casa onde eles lançaram granadas molotov.

Balaguer, que havia pedido permissão para visitar sua mãe doente, reuniu-se durante 72 horas se negou a deixar o território dominicano rebelando-se ante a autoridade do presidente Imbert Barreras , ademais desejando saber quem iria concorrer à presidência nas próximas eleições.

Finalmente, em 30 agosto de 1965 sob os auspícios da comissão mediadora da OEA foi assinado um acordo chamado de ata institucional no qual ele escolheu Dr. Hector Garcia Godoy como presidente provisório e concordou em eleições do próximo ano.

Com a assinatura da ata institucional é unificada a República e finalizada a guerra, onde ele começou a remover a trincheira que limitava a zona constitucionalista. Em 2 de setembro, ante uma manifestação gigantesca na Praça da Constituição o Coronel Francisco Alberto Constituição Alberto Caamaño Deno apresentou sua renúncia ao presidente constitucional."

Aqui está um enxerto do discurso do Caamaño época de sua demissão:

"... Porque o povo me deu o poder para o povo eu venho devolver o que lhe pertence, nunca com tanto heroísmo e coragem o povo tinha lutado contra um inimigo tão poderoso em armas e número. Lutamos assim com bravura, porque estávamos desbravando com a razão o caminho da história. Ante o povo dominicano, ante seus dignos representantes que aqui representa o hponorável Congresso Nacional, renuncio ao cargo de presidente constitucional da República Dominicana.Deus queira que o povo possa lograr que isso seja a última vez em nossa história que um governo legítimo tem que deixar o cargo sob pressão de forças nacionais ou estrangeiras. E eu tenho fé que assim será ".
CONHEÇA SÃO DOMINGOS




OUTRAS FOTOS DO ACERVO DE PAULINO

Paulino nos arrecifes da magmas vulcânicas, lugar considerado perigoso.
 Estaria procurando "Larimar"?
De certo que não.

"República Dominicana: Larimar



Larimar é uma pedra preciosa azul bonito que só é encontrada na República Dominicana. Sua cor azul é muito semelhante ao das águas de praia tropical e por causa de sua aparência, é freqüentemente confundido com turquesa.  Larimar pedras são pensados ​​para ter formado anos atrás como resultado de erupções vulcânicas.  Teoriza-se que à medida que o magma foi forçado por baixo da superfície da terra, que misturado com uma variedade de substâncias como compostos de alumínio, sódio, cálcio e ferro. . Essa mistura química formada no que é conhecido em geologia como um pectolite que é essencialmente um mineral que ocorre na irradiada ou massas fibrosas ou cristalina.  Este é o motivo de sua incomum, mas bonita cor azul brilhante.


Larimar porque é indígena para a República Dominicana e por causa de sua beleza incomum, não é, naturalmente, muita Dominicana o folclore em torno dela. Muitas vezes é encarado como uma pedra, espiritual poderosa. It is said to soothe, heal and enlighten. Diz-se para aliviar, curar e iluminar. Supõe-se para capacitar a pessoa a ver as coisas de uma perspectiva diferente.  A pedra em si representa a clareza, paz e amor e é recomendado para pessoas que estão estressadas.  Isso tudo é, sem dúvida, devido à sua cor azul tranquilo.

 História da larimar


Sabe-se que a antiga Tainos apreciado e valorizado âmbar, mas se colocado qualquer valor em larimar ou não, não é conhecido. Acredita-se também que, apesar da beleza larimar, muito pouca atenção foi dada a ele, até muito recentemente.  O vulcão onde se originou, agora dormente, está na parte da República Dominicana conhecido como Barahona, que é uma grande cidade na parte sudoeste do país. Documentos do Tesouro Dominicana Departamento revelam que cerca de cem anos atrás, um cavalheiro pelo nome de Miguel Domingo Fuerte Loren pediu permissão para começar a escavar nesta área. . Se ele era ou não permissão é desconhecida, mas parece que uma mina foi formada e então a idéia foi abandonada ea área passou praticamente inexplorada até 1974.


Naquele ano, dois senhores, um membro dos Estados Unidos Peace Corps eo outro um dominicano com o nome de Miguel Mendez, teriam sido encontrados alguns seixos azul nesta área. Aparentemente, eles começaram a vadear o rio em busca de mais pedras do azul e ao fazê-lo, redescobriu a mina que Miguel Domingo Fuerte Loren tinha abandonado anos antes. Dentro de um ano, a exploração da área reiniciado e, hoje, existem centenas de poços de minas e profunda com extensão para a montanha.


O larimar "palavra" foi criada pela combinação de início de Larissa filha Mendez é o nome com a palavra "mar" que é a palavra espanhola para o mar. Estranhamente, apesar de ser na existência por muito tempo, até que ponto o gemstone ignorado não tinha sido oficialmente nomeado e o nome larimar preso.


Larimar mineração


 A mina é real em Barahona vários quilômetros ao norte da estrada principal de Barahona para Bahoruco.  A estrada de terra é muito íngreme e acidentada e não é aceitável sem um veículo de quatro rodas motrizes. Também não há sinal por isso, se você não sabe para onde está indo, você terá um tempo muito difícil encontrá-lo. No entanto, o cenário ao longo da estrada é declaradamente uma vista espetacular de árvores e flores tropicais. Afora isso, como muitas áreas da zona rural Dominicana remoto, as estruturas na zona envolvente da mina são na sua maioria pequenas, casas mal construídas e cabanas.  A maioria de seus ocupantes são os homens que são empregados nas minas de larimar e suas famílias. Estes homens geralmente começam a trabalhar nas minas em uma idade muito jovem. Como não há muito outra oportunidade, as minas de fornecer alguma estabilidade e que os homens ganham pouco dinheiro, é suficiente para permitir que eles e suas famílias para viver um estilo de vida simples.
Trabalhar nas minas pode ser muito perigoso uma vez que são mal construídas e reforçadas as medidas de segurança e muito poucos são tomadas. Os túneis profundos podem facilmente entrar em colapso, prendendo qualquer mineiro que pode estar trabalhando dentro. Um número de mineiros têm alegadamente sido enterrado vivo devido a colapsos como esses.


Durante a estação chuvosa, as minas ocasionalmente ficam alagadas e, como resultado, o potencial para o meu torna-se limitada. Não é realmente sabe exatamente o quanto é larimar na mina e possivelmente, a mina poderia esgotar-se da gema preciosa a qualquer momento. Esta incerteza e rumores ocasionais em torno disponibilidade larimars causa flutuações em seu preço.  O fato de que a existência de larimar tem se tornado mais amplamente conhecida e que os turistas foram comprá-lo com maior freqüência foi adicionado ao seu valor.

Jóias Larimar


Taxas Larimar entre um 5 e um 7 na escala de Mohs de dureza que é um sistema que mede uma resistência substâncias para ser riscado. Quanto mais escura a taxa de pedras azuis mais perto de um 7 com a classificação mais leves mais perto de um 5.  A dureza da pedra e cor bonita tornou um item muito popular para fazer jóias. Claro, o larimar não é levado diretamente a partir da mina e imediatamente transformado em jóias, mas tem que passar por um processo.  Primeiro, as pedras retiradas da mina devem ser classificados e tem que ser determinado quais são adequados para fazer jóias. Em seguida, eles devem ser classificados por tamanho, cor, claridade e em seguida, as pedras têm de ser moldado de acordo e polidas antes de serem montados na parte de jóia por um profissional. Há colares, brincos, abotoaduras, pulseiras, anéis, pingentes e outras formas de jóias feitas a partir de larimar.

Há muitas lojas em torno da República Dominicana a venda desses itens, bem como várias empresas na web. O museu Larimar tornou-se um popular local para visitar e está localizado na zona colonial de Santo Domingo. Ele tem uma tela grande de larimar, bem como uma loja e loja de presentes. Na loja de museus, se você não ver a parte específica de jóia que você está procurando, você pode solicitá-los ao costume fazer isso por você. Você também pode encontrar vendedores que vendem jóias larimar na rua. Embora os itens podem ser mais baratos do que o que você vai ver no museu larimar ou em lojas, é geralmente uma pior qualidade e pode muito bem ser falsificados para compra de larimar na rua deveria ser evitada ou, no mínimo, com cautela.


Enquanto visita a República Dominicana como turista, pode ser difícil decidir o que trazer de volta como uma lembrança.  História única Larimar e beleza pode facilitar essa decisão. Se você quer comprar uma bela peça de joalheria ou simplesmente comprar uma pequena pedra como um amuleto de boa sorte ou lembrança de sua visita, larimar é uma escolha excelente. "


Praia de Boca Chica


Avenida Máximo Gómes

Avenida Balforioty de Castro


Parque Colon - Columbus Square

?



Com colegas do Brasil

Passeio no Zoológico

No Zoológico

No acampamento da FAIABRAS

Forte Brook

Mar do Caribe

Barricadas


De guarda

Em frente a Rádio

Em frente ao Tribunal Militar





4 comentários:

Lusa Piancó Vilar disse...

Conterrâneo,

É gratificante conhecer a sua trajetória de vida, a sua participação ativa na História do nosso país. Você que nasceu lá nos rincões do nordeste brasileiro, mais precisamente no sertão do Pajeú, hoje figura nos anias da nossa história brasileira, e isso nos traz muito orgulho. Obrigada por disponibilizar tão importante acervo fotográfico.

Anônimo disse...

Meu pai esteve junto com você
Pracinha Paulo Clacy Silverio Costa

Sergio Nougue disse...

Amigo,não imaginas a emoção ao ver este belo retrospecto, poi fiz parte do segundo contigente FAIBRAS,como Cb. Exercito Brasileiro.Gostaria, se possivel de contato por endereço NOUGUE65@GMAIL.COM.Um forte abraço.Estamos de parabéns...

aurecil andrade disse...

Meu pai esteve também pelo exercito Aurecil Andrade Lima